Com média de 500 paciente ao mês, setor de Feridas é destaque do HRMS

  • Saúde
  • 09/janeiro/2017 2:49 pm
  • Agência de Noticias do Governo de Mato Grosso do Sul

Campo Grande (MS) - Com apoio da atual gestão do Hospital Regional de Mato Grosso do Sul (HRMS), que instituiu o laboratório de Feridas do HRMS e iniciou os atendimentos em março de 2015, pacientes portadores de lesões encaminhados pelos médicos do ambulatório conquistaram êxito no tratamento, fator que aumentou gradativamente a demanda no setor. A equipe médica confiante no trabalho do setor de curativos passou a dar alta aos pacientes internados que ainda apresentavam lesões para continuar o tratamento em casa e no laboratório de curativos, o que automaticamente aumentou o fluxo de desospitalização no hospital.

dsc_0662

O paciente internado que apresenta lesões é acompanhado pela Comissão de Curativos durante a sua internação, que por sua vez avalia e prescreve a cobertura ideal para o tratamento da ferida, e após a alta clínica o médico ou o enfermeiro encaminha o paciente para o ambulatório de feridas para acompanhar o seu tratamento, conforme o fluxograma do ambulatório de feridas, até a sua alta por cura.

dsc_0688

Todo o atendimento realizado no HRMS, desde exames, internações, consultas médicas e outros, são armazenados no prontuário eletrônico do paciente. Durante os atendimentos no ambulatório de feridas os SSVV, registros fotográficos da evolução das lesões, termo de consentimento para foto, consultas de enfermagem, consultas médica, evolução de todos os profissionais e outros, ficam registrados no prontuário eletrônico.

Todo curativo realizado deve ser avaliado e prescrito pelo enfermeiro, baseado no protocolo do ambulatório de feridas, e as coberturas utilizadas são liberadas, exatamente, conforme a prescrição de enfermagem.

dsc_0694

O reflexo do ambulatório de feridas melhora a eficácia e eficiência na prevenção e tratamento de lesões dos usuários do SUS em nossa instituição, diminui danos causados aos pacientes portadores de diabetes mellitus, úlceras venosas, úlceras arteriais, úlceras por pressão, deiscências cirúrgicas, infecções de parede, fasciotomias, dermatites bolhosas e outras lesões de pele além de ajudar na redução dos índices de morbidade e mortalidade de pacientes portadoras de feridas extensas, crônicas e infectadas.

dsc_0737

A equipe é formada por uma enfermeira assistencial, uma enfermeira técnica, cinco técnicos de enfermagem, um para triagem e um para ações administrativas, “O ambulatório de feridas ajuda a melhorar a qualidade de vida dos pacientes portadores de lesão, diminuindo o tempo de internação, complicações com infecções hospitalares, além de ajudar muitos pacientes a alcançarem a cura tão almejada, como por exemplo, os pacientes portadores de úlceras crônicas, que chegam a cicatrizar as lesões de até 30 anos de existência”, declarou a Enfermeira responsável pelo setor, Juliana Corrente da Silva.

dsc_0742

O Diretor Presidente Justiniano Vavas ressaltou a importância do ambulatório, “ É gratificante ver que é um ambulatório que tem dado muito resultado em todo o hospital, inclusive na desospitalização que outrora tinha leitos lotados, e agora os pacientes que tratam de suas feridas visitam o hospital semanalmente,passam pelos procedimentos e retornam a suas casas.

Iza Rocha – Comunicação HRMS

Veja Também
Últimas Notícias

Utilizamos cookies para permitir uma melhor experiência em nosso website e para nos ajudar a compreender quais informações são mais úteis e relevantes para você. Por isso é importante que você concorde com a política de uso de cookies deste site.