Em presídio de Jateí, detentas aprendem sobre implantação e manejo básico de horta

  • Agepen
  • nrodrigues
  • 18/abril/2017 2:31 pm
  • Agência de Noticias do Governo de Mato Grosso do Sul

Campo Grande (MS) – A qualificação em horticultura como meio profissional foi tema de curso oferecido este mês  a reeducandas do Estabelecimento Penal Feminino “Luiz Pereira da Silva”, em Jateí. A qualificação foi realizada em parceria entre a Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen), o Sindicato Rural Patronal de Jateí e o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar).

Sob a coordenação da Diretoria de Assistência Penitenciária da Agepen, por meio da Divisão de Educação, a capacitação  teve carga horária de 24 horas/aula, e foi ministrada pelo instrutor do Senar, Luís Vitor Neves.  O curso “Implantação e Manejo Básico de Horta” abrangeu  a exploração de várias  espécies de plantas, como culturas folhosas, raízes, bulbos, tubérculos e frutos.

No total, 14 internas participaram das atividades teóricas e práticas. Dentre os temas abordados, as alunas  aprenderam sobre a importância das hortaliças, definição da área para implantação da horta e do local para construção de canteiros.

Além disso, durante o curso, foram instruídas a preparar o solo para a plantação, adubação, poda, irrigação, cuidado com pragas e doenças, colheita e  implantação de sombrites ou estufas, além de técnicas de comercialização.

“O Senar e o Sindicato Rural tem sido importantes parceiros na capacitação das internas, já tendo proporcionado cursos em várias áreas aqui no presídio”, enfatiza a diretora do estabelecimento prisional, Solange Pereira da Silva. “E essa capacitação em horticultura foi promovida com o objetivo de ocupá-las produtivamente reabilitá-las para, quando reinseridas na sociedade, possam ter mais uma opção no mercado de trabalho”, complementa.

Para o diretor-presidente da Agepen, Aud de Oliveira Chaves, o aprendizado oferecidos em cursos profissionalizantes também é uma forma de estimular a população carcerária não voltar a cometer crimes. “A Agepen trabalha com objetivo de transformar a vida dos seus custodiados para melhor, e usamos o trabalho, a educação, a qualificação profissional, entre outras iniciativas, para isso”, conclui o dirigente.

Texto e foto: Keila Oliveria - Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen)

Veja Também
Últimas Notícias

Utilizamos cookies para permitir uma melhor experiência em nosso website e para nos ajudar a compreender quais informações são mais úteis e relevantes para você. Por isso é importante que você concorde com a política de uso de cookies deste site.