Escola Segura: Professores aprovam integração da Segurança Pública com a gestão escolar

  • Educação
  • 05/outubro/2017 8:00 am
  • Agência de Noticias do Governo de Mato Grosso do Sul

Para docentes, presença de policiais nas escolas representa intervenção positiva do Governo como forma de respaldar o trabalho desenvolvido por eles nas escolas de Campo Grande.

Campo Grande (MS) - Professores da rede de ensino pública de Capital apostam na integração da segurança pública e a gestão escolar como forma de aumentar a segurança nas escolas públicas de Mato Grosso do Sul. Para fortalecer essa parceria, o Governo do Estado lança nesta quarta-feira (4.10) o programa Escola Forte, Família Segura - que contará com modalidade de policiamento especializado e viaturas específicas para atendimento à comunidade escolar.

O programa contará com duas vertentes: policiamento e orientação pedagógica. A intenção é reforçar a segurança em conjunto com a direção escolar. “Essa aproximação tem tudo para dar certo”, apostou o professor de Matemática Daniel Kleberson, de 26 anos. 

Professor estadual há cinco anos, Daniel aposta na parceria do poder público com direção das escolas.

Há cinco anos lecionando na rede estadual, ele conta que é inviável à coordenação fiscalizar o comportamento de todos os estudantes diariamente e a presença de policiais ajuda a coibir atitudes prejudiciais, como o consumo de entorpecentes. 

Para Daniel, aliar o trabalho da Polícia Militar à direção das escolas permitirá impedir que terceiros invadam o ambiente, como já ocorreu diversas vezes. “Quando sabem que existe essa comunicação entre a segurança e a gestão da escola, as pessoas que vinham com outro intuito que não estudar acabam se afastando”, avaliou.

“A intervenção do Governo se faz necessária”, pontuou a professora Lilian Bifaroni, de 43 anos. De acordo com ela, as falhas na educação que os alunos recebem em casa se refletem nas salas de aula e os professores - além de se preocupar em lecionar - precisam ficar atentos à segurança dos demais estudantes.

Segundo a docente, a situação é ainda mais crítica no período noturno. “Alguns já estão se organizando criminalmente, pegando uniformes emprestados para entrar em outras escolas”, apontou. Para Lilian, que ministra aulas de Português para turmas do Ensino Médio, a aproximação da PM será útil não somente nas ações repressivas, mas como forma de prevenir infrações entre os estudantes.

“Já vi grupo de 15 alunos uniformizados fumando e não tive muito o que fazer. Não podemos ficar chamando a polícia por suspeitas”, lamentou. A dificuldade apontada por ela irá mudar com o início do Escola Segura, Família Forte. Tanto a direção da escola quanto os professores terão os celulares funcionais da equipe especializada para atendimento escolar e poderão acioná-los sempre que julgarem necessário.

Com viaturas próprias e efetivo orientado para atender especificamente aos estudantes, a equipe de 20 militares estará disponível permanentemente para as escolas, facilitando ainda a criação de um vínculo de confiança com os alunos das escolas públicas da Capital.

Em  2016, Eugênio dos Reis procurou policiais da 5ª Cia de Policiamento que foram autorizados pelo Governo de MS a reforçar o policiamento no Joaquim Murtinho e demais escolas da região central.

Na Escola Estadual Joaquim Murtinho, Centro de Campo Grande, o diretor-adjunto Eugênio César Faria dos Reis já tem uma experiência parecida de aproximação da Polícia Militar que vem dando bons resultados. No ano passado, ele procurou policiais da 5ª Companhia de Policiamento que foram autorizados pelo Governo do Estado a reforçar o policiamento nas escolas da região central.

“Os alunos se sentem mais seguros, confiam no trabalho da PM”, afirmou. Segundo ele, a presença dos policiais inibe o consumo e comercialização de drogas tanto na escola quanto no entorno e refletiu até na frequência e rendimento dos estudantes.

Esforço conjunto

O programa Escola Segura, Família Forte foi desenvolvido pela Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) em parceria com as Secretarias de Estado de Educação (SED); de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho (Sedhast) e a Secretaria Municipal de Educação (Semed) de Campo Grande.

Professores, diretores e pais participaram da elaboração do plano de trabalho, em audiências e reuniões realizadas desde o mês de fevereiro para formatação do projeto. Pelo menos mil envolvidos com a comunidade escolar estiveram presentes nas discussões, além de representantes das Polícias, Corpo de Bombeiros de MS e Guarda Municipal de Campo Grande. A proposta é estender o trabalho a todos os municípios do interior.

O lançamento oficial do Programa será às 14h, na praça do bairro Estrela do Sul (rua Jivago s/nº).

Danúbia Burema – Subsecretaria de Comunicação (Subcom)
Regiane Ribeiro – Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp)
Emília Sbrocco Dorsa – Secretaria de Estado de Educação (SED)

Fotos: Edemir Rodrigues

Veja Também
Últimas Notícias

Utilizamos cookies para permitir uma melhor experiência em nosso website e para nos ajudar a compreender quais informações são mais úteis e relevantes para você. Por isso é importante que você concorde com a política de uso de cookies deste site.