Estado vai criar sistema de alerta e monitoramento da gripe aviária alinhado com a defesa sanitária federal

  • Geral
  • Bruno Henrique de Oliveira Rezende
  • 27/maio/2023 10:03 am
  • Agência de Noticias do Governo de Mato Grosso do Sul

Mato Grosso do Sul vai criar um sistema de alerta de monitoramento de gripe aviária em Mato Grosso do Sul, numa ação conjunta que envolverá órgãos de defesa agropecuária federal e estadual, indústria, avicultores, entidades como a Famasul, Polícia Militar Ambiental e Defesa Civil. A ação foi definida pelo Governo do Estado na sexta-feira (26) após videoconferência com o ministro da Agricultura, Carlos Fávaro, e a equipe de Defesa Agropecuária do Mapa com órgãos de fiscalização e vigilância sanitária animal de todas as unidades da federação do País.

Participaram da reunião o secretário Jaime Verruck, da Semadesc (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e Inovação), e o secretário-executivo de Desenvolvimento Econômico, Rogério Beretta. O superintendente Federal de Agricultura (SFA/MS) do Mapa, Celso Martins também acompanhou a transmissão.

Segundo Jaime Verruck, desde fevereiro de 2023, quando surgiram os primeiros casos da doença em animais silvestres na Bolívia, o serviço de defesa sanitária animal do Estado representado pela Iagro (Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal) e o Mapa montaram uma ação conjunta com barreiras sanitárias e fiscalização em Corumbá. Mais recentemente, com a detecção de focos no Paraguai, barreiras de fiscalização foram montadas também nas cidades de Ponta Porã, Bela Vista e Porto Murtinho e tem acionado equipes para orientação da população sobre os riscos da gripe aviária.

"Agora vamos publicar um decreto para criar sistema de alerta e monitoramento para ter ação conjunta, além de órgãos de defesa. A ideia é envolver o pessoal da indústria, avicultores, Famasul e agora vamos incluir também a Defesa Civil e PMA nas ações, caso apareça focos em aves silvestres. Por isso vamos reforçar o monitoramento e a orientação não só na avicultura comercial como na questão do alerta em relação a aves silvestres", salientou o secretário.

O reforço nas medidas de biossegurança também está sendo feito em todas as granjas de postura e corte. "Tivemos uma reunião hoje (26) com entidades rurais, associações de avicultores, indústria para que incrementem as medidas de biossegurança, além da orientação e avaliação em cada uma das granjas. Este é um mantra fundamental de reforço da segurança. Por isso vamos reforçar estas medidas. Esta foi a discussão feita hoje cedo com as empresas e granjas de postura com reforço da biossegurança. Esta é a linha que o MS vai adotar", concluiu o titular da Semadesc.

Decreto de emergência

No dia 22, o Ministério declarou estado de emergência zoossanitária em todo o território nacional devido à detecção do vírus da influenza aviária de alta patogenicidade (IAAP) - H5N1 - em aves nos estados do Espírito Santo e Rio de Janeiro. A medida, publicada no Diário Oficial da União, tem validade de 180 dias e visa prevenir a disseminação da doença na produção de aves de subsistência e comercial, além de proteger a fauna e a saúde humana.

A Portaria nº 587 também prorroga, por tempo indeterminado, a suspensão de exposições, torneios, feiras e outros eventos com aglomeração de aves, bem como a criação de aves ao ar livre sem proteção na parte superior dos piquetes, em estabelecimentos registrados no Ministério da Agricultura e Pecuária. Essa medida se aplica a todas as espécies de aves criadas para produção, ornamentais, passeriformes, aves silvestres ou exóticas em cativeiro e outras finalidades.

Centro de Emergência

A Secretaria de Defesa Agropecuária estabeleceu o COE (Centro de Operações de Emergência) para coordenar, planejar, avaliar e controlar as ações nacionais relacionadas à influenza aviária. O COE será responsável por coordenar as medidas de prevenção, vigilância e cuidados com a saúde pública, além de articular informações entre os ministérios, órgãos governamentais, agências estaduais e setor privado.

A influenza aviária é uma doença altamente contagiosa que afeta aves, incluindo aves domésticas e silvestres. Embora não haja registros de casos em seres humanos até o momento, a declaração de estado de emergência zoossanitária visa prevenir a propagação do vírus, protegendo assim a saúde humana.

A Iagro, em conjunto com os órgãos competentes, continua monitorando de perto a situação e implementando medidas de prevenção e controle para garantir a segurança da avicultura e preservar a saúde pública. O Governo alerta que a colaboração de todos é fundamental para o sucesso dessas ações, incluindo a conscientização da população sobre a importância de relatar aves doentes ou mortas aos serviços veterinários.

Rosana Siqueira, Semadesc

Foto: Mairinco Pauda

Veja Também

NOTA OFICIAL

Com intuito de aprimorar e evoluir na prestação de serviços públicos à população sul-mato-grossense, o governo de Mato Grosso do Sul informa que o ex-delegado-geral de Polícia Civil, Roberto Gurgel […]

Últimas Notícias

NOTA OFICIAL

Com intuito de aprimorar e evoluir na prestação de serviços públicos à população sul-mato-grossense, o governo de Mato Grosso do Sul informa que o ex-delegado-geral de Polícia Civil, Roberto Gurgel […]

Utilizamos cookies para permitir uma melhor experiência em nosso website e para nos ajudar a compreender quais informações são mais úteis e relevantes para você. Por isso é importante que você concorde com a política de uso de cookies deste site.