Precoce MS atesta a transparência e valoriza cadeia da carne, destaca Famasul

  • Agropecuária
  • 18/abril/2017 7:30 am
  • Agência de Noticias do Governo de Mato Grosso do Sul

Campo Grande (MS) - Modernização, transparência e estímulo. Essas foram as principais palavras proferidas por lideranças rurais e políticas durante o lançamento do programa Precoce MS, nesta segunda-feira (17), na Capital. O resultado da ação visa uma carne com o mais alto padrão de qualidade no mercado.

O programa Precoce MS, desenvolvido pelo Governo e entidades parceiras, entre elas a Famasul, tem como finalidade aumentar a segurança no controle sanitário, a eficiência do animal e valorizar o produtor que adota sistemas sustentáveis de criação.

Para o presidente do Sistema Famasul - Federação da Agricultura e Pecuária de MS -, Mauricio Saito, o programa auxiliará a modernizar e profissionalizar a comunicação no setor produtivo. “Através de programas como este é possível divulgar os trabalhos realizados da ‘porteira para dentro’ com os demais segmentos da sociedade”.

Saito salientou o desempenho do setor pecuário em Mato Grosso do Sul e no Brasil. “A primazia em produção é calcada pelo empenho da comunidade científica e sustentabilidade. O ganho de competitividade no setor agropecuário está muito ligado ao conhecimento. O Precoce MS traz como mensagem à transparência que existe na cadeia da carne e que colocará o Estado cada vez mais na vanguarda da produtividade com sustentabilidade”.

O governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja, afirmou que o programa auxiliará no fortalecimento de todos os elos da cadeia produtiva. “Todos nós ganhamos com isso [...]. Estamos vendendo mais carne mesmo com rebanho menor. Queremos cada vez mais ofertar com mais qualidade e em menor tempo. Todo mundo ganha”, salientou.

Para o secretário de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar, Jaime Verruck, o programa é de estímulo à melhoria da produção. “Essa foi uma construção feita dentro do governo de Reinaldo Azambuja que envolveu lideranças como o Mauricio Saito e que foi fundamental para chegarmos nessa reformulação do programa”.

Em seu discurso, Verruck falou que o Governo do Estado tem uma meta muito maior dentro desta iniciativa: “posicionar Mato Grosso do Sul no mercado interno e externo com a carne de melhor qualidade. A ideia é trabalhar essencialmente toda a cadeia produtiva buscando a eficiência com práticas sustentáveis dentro da propriedade, e não só nos frigoríficos”, explica.

Para o presidente da Associação Novilho Precoce, Nedson Rodrigues Pereira, o programa vai fortalecer o setor produtivo. “Precisamos produzir mais e melhor, de forma sustentável e legal. O programa é totalmente informatizado”. Do mesmo modo o superintendente da SFA/MS – Mapa, Celso de Souza Martins, falou sobre o programa. “No início, o programa tinha três grandes vertentes, ele foi um indutor da pecuária no Estado. Melhoria da cadeia de produção (no campo), melhoria na cadeia frigorífica e benefício ao consumidor, e isso foi alcançado”.

Em seguida, o chefe geral da Embrapa Gado de Corte,  Cleber Oliveira Soares,  ressaltou o desenvolvimento sustentável da pecuária, associado à adesão de novas tecnologias. “Aqui é o berço do alimento de qualidade, das tecnologias especialmente voltadas para a pecuária. É daqui que sai a base genética para o Brasil hoje responder porque responde por 92% das pastagens cultivadas no mundo tropical”.

A Deputada Federal e presidente da Frente Parlamentar Agropecuária (FPA), Tereza Cristina Côrrea Dias, acrescentou: “sabemos das dificuldades até alcançar o modelo ideal e mais justo que atenda as demandas da região. A tendência é que possamos abater animais cada vez mais precoces e eficientes”.

Participaram do evento o vice-presidente do Sistema Famasul, Nilton Pickler; o deputado estadual, Beto Pereira; o presidente do Sindicato Rural de Campo Grande, Rui Fachini; de Bela Vista, Leandro Mello Acioly; de Jateí, José Pereira da Silva; de Paranaíba, Nilo Alves Ferraz; vice-presidente do sindicato de Ponta Porã, Jean Pierre além do presidente do MNP – Movimento Nacional dos Produtores, Rafael Gratão.

O Precoce MS é operacionalizado pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), Secretaria de Estado de Fazenda (Sefaz) e a Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (Iagro) e conta  com o apoio do Ministério da Agricultura e Abastecimento (Mapa), Embrapa Gado de Corte, CRMV/MS e CREA/MS e tem ainda como parceiros a Associação Sul-mato-grossense dos Produtores de Novilho Precoce (ASPNP), Federação de Agricultura e Pecuária do Estado (Famasul), Sindicato das Indústrias de Frios, Carnes e Derivados do Estado (Sicadems) e a Associação dos Criadores de Mato Grosso do Sul (Acrissul).

Fonte: Assessoria de Imprensa Sistema Famasul

Foto: Chico Ribeiro

Veja Também
Últimas Notícias

Utilizamos cookies para permitir uma melhor experiência em nosso website e para nos ajudar a compreender quais informações são mais úteis e relevantes para você. Por isso é importante que você concorde com a política de uso de cookies deste site.