Incluídas pela primeira vez, mulheres surdas se emocionam ao assistir mito guató no Festival de Inverno

  • FIB 2023
  • Alexandre Carvalho Gonzaga
  • 26/agosto/2023 2:13 pm
  • Agência de Noticias do Governo de Mato Grosso do Sul

No palco, as luzes se dividem entre o bailarino que segue o ritmo do canto e da intérprete de Libras que transmite a narrativa do mito. O Palco da Praça da Liberdade abre as cortinas para o espetáculo “Guadakan” de dança contemporânea e orquestra, do Instituto Moinho Cultural Sul-Americano, e arranca sorrisos e brilho nos olhos de quem pode assistir, pela primeira vez, ao festival.

Luzia, Thais, Élida e Lucimara são quatro mulheres surdas que, apesar de morarem em Bonito há anos, apenas agora, na edição do Festival de Inverno de 2023, se sentiram parte do público.

“Foi a primeira vez que senti toda a emoção do teatro. Foi muito especial, gostamos bastante. A comunidade surda achou super bacana e ficamos admirados de como teve toda essa clareza”, conta a estudante Lucimara Gonçalves Silva, de 42 anos.

No palco, a intérprete de Libras Larissa Duragon traduzia não só as palavras como o sentimento trazido pela música que, junto do cenário e da iluminação, ofereciam a experiência única de estar diante de um verdadeiro espetáculo de arte.

“Guadakan” foi concebido a partir de um mito guató, aprendido e ensinado de geração em geração, que o Pantanal tem um “dono” e suas regras.

“No princípio era a simplicidade. Os antigos aprenderam e passaram a ensinar aos seus que tudo tem um dono no Pantanal. Estes seres não são humanos, sobrenaturais ou divinos, que devem ser respeitados e exigem uma conduta ética para que ali todos possam viver em equilíbrio com os recursos por eles fornecidos. Quando se quebram regras, punições serão proferidas”, anuncia a apresentação.

Em cada ato, os bailarinos expressavam o que foi, o que é e, principalmente, o que o Pantanal deixou de ser.

É difícil imaginar como é a experiência de assistir a um festival contando com os outros sentidos, além da audição. Surda, Thaís dos Santos, de 23 anos, tenta nos explicar, e prova o quanto a arte deve ser inclusiva.

“A Libras ajuda a gente a conseguir perceber, nós focamos e por mais que a gente não tenha audição, é igual a um show. O sentimento, a sensação que a gente tem, não precisa ouvir para sentir”, descreve.

A felicidade no rosto das mulheres era tamanha que se mesclava com a emoção de um espetáculo que clama, usando a arte, para falar de natureza. Nascida em Bonito e com 34 anos de idade, Luzia Brand teve a primeira oportunidade de assistir a uma dança com acessibilidade somente na noite desta quinta-feira.

“Antigamente não tinha, agora consigo assistir. É a primeira vez que tem no festival essa acessibilidade”, assegura.

Ponte para que a comunicação chegue a todos, Larissa é a intérprete que trouxe ao palco duas reflexões: o apelo do Pantanal depois dos incêndios que destruíram parte do bioma, e da necessidade de fazer um festival acessível a todos.

“A gente tenta passar essa emoção, precisa sentir primeiro e depois transmitir. Cada pessoa sente a arte de uma forma diferente, mas acredito que todo espetáculo, a partir do momento que você tem o tradutor transmitindo ao mesmo tempo o que está rolando de imagem, as pessoas conseguem ter uma percepção melhor”, resume Larissa.

Paula Maciulevícius, Ascom FIB 2023
Fotos: Marithê do Céu

Confira as fotos: https://www.festivaldeinvernodebonito.ms.gov.br/danca-guadakan/

Veja Também

NOTA OFICIAL

Com intuito de aprimorar e evoluir na prestação de serviços públicos à população sul-mato-grossense, o governo de Mato Grosso do Sul informa que o ex-delegado-geral de Polícia Civil, Roberto Gurgel […]

Últimas Notícias

NOTA OFICIAL

Com intuito de aprimorar e evoluir na prestação de serviços públicos à população sul-mato-grossense, o governo de Mato Grosso do Sul informa que o ex-delegado-geral de Polícia Civil, Roberto Gurgel […]

Utilizamos cookies para permitir uma melhor experiência em nosso website e para nos ajudar a compreender quais informações são mais úteis e relevantes para você. Por isso é importante que você concorde com a política de uso de cookies deste site.