Oficina de criação de Ecobags alia arte e moda à preservação da natureza

  • Geral
  • Thereza Christina Amendola da Motta
  • 28/julho/2017 11:42 am
  • Agência de Noticias do Governo de Mato Grosso do Sul

Bonito (MS) – Confeccionar sacolas com materiais reaproveitáveis e com um toque de requinte e beleza é o objetivo da Oficina de Criação de Ecobags, que acontece durante o Festival de Inverno de Bonito (FIB). As aulas começaram na segunda-feira (24.7) e terminam nesta sexta-feira (28.7), na Casa do Artesão de Bonito (MS).

A ministrante da oficina, artesã Isabel Muxfeldt, explica que as sacolas são confeccionadas com materiais reaproveitáveis, como embalagens de cebola, limão e batata, que geralmente são descartadas pelos supermercados. “O objetivo é confeccionar uma coisa bonita e elegante com materiais reaproveitáveis. Podemos levar as ecobags para balneário, praia, para fazer compras. Não usamos máquina de costura, confeccionamos tudo manualmente, com costura e crochê. Além de fazer as sacolas, vamos comercializá-las durante o Festival”.

A moradora de Bonito e funcionária pública, Severiana Fleitas, estava participando das aulas na tarde dessa quinta-feira. Ela ficou sabendo da oficina por meio da Sociedade Pestalozzi. “Tenho uma filha especial, as pessoas comentaram sobre a oficina lá, como estou de férias, resolvi fazer. Achei interessante porque tem tudo a ver com meio ambiente. É importante fazermos alguma coisa para melhorar nosso mundo, além de ser também uma opção de renda”.

Raimunda Alves de Oliveira ficou sabendo da oficina por meio da Casa do Artesão. “Eu faço sempre cursos no Sindicato Rural, tanto de artesanato como de alimentos. Sou artesã e trabalho com vagonite, trançado de fita, bordado ponto reto. Já trabalhei muito na vida, agora quero fazer os cursos e também novas amizades”, diz a aposentada, que trabalhou na área de alimentação.

A dona de casa Márcia Espinosa dá aulas de crochê para mães de crianças especiais na Sociedade Pestalozzi de Bonito e foi convidada por sua diretora para fazer o curso. “Vim por curiosidade, estou gostando muito de fazer. Eu vou querer ficar com uma sacola para eu fazer a minha feira. Gosto de reciclar. Em casa nós separamos o lixo. Meus filhos aprenderam isso na escola e foram me conscientizando”.

Daiza Antunes trabalha na Casa do Artesão de Bonito e também expõe trabalhos em crochê, fuxico e patchwork. Já dei aulas como artesã voluntária em Jardim e Nova Mutum (MT). É douradense mas reside em Bonito há quatro meses. “Sempre trabalhei com artesanato. Tem pessoas que falam que o artesanato não dá para sobreviver, mas dá sim. Meu negócio é aprender, estar no meio de gente. Eu gosto muito de material reciclável, pois você tem que cuidar do meio ambiente, tem que preservar a natureza”.

Karina Lima - Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul (FCMS)

Fotos: Ricardo Gomes

Veja Também
Últimas Notícias

Utilizamos cookies para permitir uma melhor experiência em nosso website e para nos ajudar a compreender quais informações são mais úteis e relevantes para você. Por isso é importante que você concorde com a política de uso de cookies deste site.