Reestruturação da portaria vai garantir mais segurança a presídio da Capital

  • Agepen
  • 04/abril/2017 1:26 pm
  • Agência de Noticias do Governo de Mato Grosso do Sul

Campo Grande (MS) – A portaria do Centro de Triagem “Anísio Lima” (CT), presídio masculino de regime fechado, em Campo Grande, está sendo totalmente reestruturada. Além de proporcionar melhores condições de trabalho aos agentes penitenciários e no atendimento de visitantes e advogados, o local também será mais seguro.

De acordo com o diretor do presídio, Alírio Francisco do Carmo, a nova portaria terá espaço para acesso das viaturas de escolta da Polícia Militar, possibilitando a incursão dos presos nos camburões dentro do presídio. “Sem essa estrutura, eles precisavam sair na rua para entrar nas viaturas”, explica Francisco. Outro ponto importante, aponta o dirigente, é o reforço na segurança do espaço entre a portaria e o corredor que dá acesso ao pavilhão, o que dificultará o ingresso dos presos ao local.

Obra vai estimular a existência de parcerias de trabalho para utilização de mão de obra prisional, destaca o diretor do CT.

As obras também facilitarão o acesso de veículos para descarregarem materiais utilizados nas oficinas de trabalho. "Antes, esse acesso estava sendo feito pelo Instituto Penal [de Campo Grande], o que era mais trabalhoso para os agentes do IPCG e para nós”, comenta o diretor do Centro de Triagem, ressaltando que a reestruturação irá possibilitar a abertura de novas frentes de trabalho para os internos. “O estímulo à existência das oficinas laborais é essencial, pois a proposta do trabalho prisional como mecanismo de reinserção social é um fator importante para a não reincidência criminal”, argumenta.

Na portaria, também estão sendo construídos novos alojamentos masculino e feminino para os agentes penitenciários que cumprem escala de plantão na unidade, com mais espaço e conforto. O local terá, ainda, uma sala de espera para advogados ou demais pessoas que necessitarem aguardar por atendimento; além de uma sala de armas. Novidade também quanto às salas de revistas de visitantes, que estão ganhando mais espaços para os procedimentos.

O diretor presidente da Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen), Aud de Oliveira Chaves, esteve no Centro de Triagem vistoriando a obra, que classificou como “um marco para a unidade penal”. “Estamos conquistando importantes avanços no Centro nos últimos tempos, como a construção de um espaço para a implantação de oficinas de trabalho, o que possibilitou o funcionamento de empresas dentro do presídio, garantindo ocupação produtiva e remunerada aos custodiados. Agora, a nova portaria, que era um anseio antigo da administração, possibilitará mais segurança e melhor desenvolvimento dos trabalhos”, destacou.

Detentos trabalham na obra e ganham remição de 1 dia na pena a cada 3 de serviços prestados.

A estrutura da nova portaria foi projetada pela engenheira Carla Gameiro, agente penitenciária responsável pelo setor de Engenharia da Agepen. A obra é custeada com recursos da Central de Execução de Penas Alternativas (Cepa), oriundos de penas pecuniárias. Conforme a engenheira, a obra teve início em outubro e a conclusão está prevista para ocorrer dentro de três meses. Os trabalhos são realizados com mão de obra prisional, sob supervisão de agentes penitenciários. Pelo trabalho na obra, os reeducandos recebem remição de um dia na pena a cada três de serviços prestados.

 

 

Texto: Keila Oliveira - Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen)

Fotos: Jeremias Lima

Veja Também
Últimas Notícias

Utilizamos cookies para permitir uma melhor experiência em nosso website e para nos ajudar a compreender quais informações são mais úteis e relevantes para você. Por isso é importante que você concorde com a política de uso de cookies deste site.