Sob fiscalização da Agems, implantação do contorno viário e faixas adicionais avançam na MS-306

  • Agems
  • Paulo de Camargo Fernandes
  • 04/julho/2023 2:52 pm
  • Agência de Noticias do Governo de Mato Grosso do Sul

A concessão da MS-306 está no quarto ano, mas a Agems (Agência Estadual de Regulação) já fiscaliza também obras de médio prazo incluídas na programação do quinto ano de concessão.

São projetos em andamento que levam mais segurança e qualidade ao tráfego, com execução entre 2023 e 2024.

Contorno

Equipe da Diretoria de Rodovias acaba de realizar mais uma inspeção a campo na implantação do Contorno Viário de Chapadão do Sul, obra moderna lançada em junho, que terá investimento direto de R$ 7 milhões, além de R$ 65 milhões em desapropriações, totalizando R$ 72 milhões aplicados.

Com 12,5 quilômetros de extensão, o anel vai mudar o traçado da rodovia no trecho de entroncamento com a BR-060, livrando o centro da cidade do trânsito pesado e criando para os motoristas uma alternativa mais rápida e segura.

“É uma obra de grande impacto, que já foi iniciada, com a locação do traçado e os serviços de terraplenagem. Já é possível verificar no local um grande volume de movimentação de terras e equipamentos”, constatou o coordenador da Câmara Técnica de Rodovias, engenheiro Edson Delgado.

Simultaneamente à construção da pista, também está sendo implantado o dispositivo de acesso ao novo contorno viário, localizado no km 122 da MS-306.

Faixas adicionais e dispositivos de segurança

O trecho sob concessão tem cerca de 219 quilômetros de extensão, desde a divisa com o estado de Mato Grosso, passando pelos municípios de Costa Rica, Chapadão do Sul e Cassilândia.

Na programação periódica de investimentos, a Agems verificou que está avançada a execução de terraplenagem e conformação de terceira faixa e acostamento junto ao ponto conhecido como curava crítica, localizada entre os quilômetros 34 e 37.

Mais adiante, é também grande a grande mobilização de engenharia, de operação, de segurança e de máquinas e equipamentos entre os quilômetros 48 e 52, por conta de obras de faixa adicional, acostamento, de faixas tipo tapers (de transição para faixas de redução e retomadas de velocidades), além do dispositivo de acesso a comunidade intitulada Santo Fujão.

“É um trabalho rigoroso que fazemos para garantir o cumprimento dos compromissos de contrato no prazo devido. São obras essenciais e muito reivindicadas pela população e pelos gestores públicos”, comenta o diretor Matias Gonsales.

“A regulação e a fiscalização caminham juntas com os investimentos do operador privado. Nós sabemos da importância da nossa presença, do nosso olhar técnico para garantir que os benefícios que o Estado espera para o cidadão seja alcançado quando delega um serviço público dessa magnitude”, finaliza o diretor-presidente da Agems, Carlos Alberto de Assis.

Gizele Oliveira, Agems

 

Veja Também
Últimas Notícias

Utilizamos cookies para permitir uma melhor experiência em nosso website e para nos ajudar a compreender quais informações são mais úteis e relevantes para você. Por isso é importante que você concorde com a política de uso de cookies deste site.